Os antialérgicos realmente dão sono?

Existe uma cena que já se tornou clássica: com os dias mais frios que se aproximam com a chegada do outono/inverno, os portadores de rinites alérgicas já sabem que em breve começa a temporada de espirros, nariz entupido, coriza, entre outros sintomas.

Mas além do frio, as situações que desencadeiam as alergias respiratórias, de pele ou alimentares são muitas e para combatê-las existe uma classe especial de medicamentos, conhecidos como antialérgicos.

Apesar do mercado oferecer uma extensa gama de medicamentos nessa classe, muita gente resiste a sua utilização devido aos efeitos colaterais.

Mesmo não sendo igual para todo mundo, o efeito colateral mais comum do antialérgico é a sonolência. Em alguns casos, o efeito é tão acentuado que a pessoa chega a ter dificuldade de executar atividades corriqueiras, como trabalhar, dirigir ou operar máquinas. Mas esse efeito existe mesmo, ou é mais psicológico? E se existe, qual o motivo?

Segundo os especialistas, a sonolência provocada pelos antialérgicos é verdadeira, mas não ocorre com todos os tipos desse medicamento. Antes de falarmos dos tipos de antialérgicos, é importante ressaltar que os sintomas das alergias são provocadas pelas histaminas.

Essas substâncias são responsáveis por combater infecções. No entanto, por sua ação vasodilatadora, a histamina provoca as reações tão comuns nas alergias.

É por esse fato, que os remédios antialérgicos são também conhecidos como anti-histamínicos. E são justamente os tipos mais antigos do medicamento, os que mais causam sono quando ingeridos. Conhecidos como Antialérgicos Clássicos (H1), são representados pelos princípios ativos conhecidos como Dexclorfeniramina, Prometazina, Clemastina e Cipro-heptadima.

Por outro lado, existe um tipo de antialérgico mais moderno, conhecido como Não-Clássicos (H2), que não provocam tanto sono como seus irmãos mais velhos. Aqui temos os seguintes princípios ativos: Loratadina, Ebastina, Cetirizina e Desloratadina. Há ainda muitos outros princípios ativos e marcas disponíveis no mercado e tanto o médico, quanto o farmacêutico estão aptos a te dar informações sobre as melhores opções.

Dessa forma, da próxima vez que você for acometido por uma crise de espirro ou coceiras na pele, lembre-se de que a farmácia pode ser o caminho mais curto para o alívio. E lembre-se também que, caso você seja uma pessoa que sente muito sono com os antialérgicos, há muitas opções para te ajudar.

O mais importante nesse caso, é usufruir de uma medicação que traga alívio rápido, sem inviabilizar a realização de nossas atividades diárias. Afinal, trabalhar espirrando e ainda por cima com sono, é um sacrifício que nem merece passar.

Deixe uma resposta