Brasil declara nova guerra contra dengue

Com o início do verão e o retorno do período de chuvas, o país todo começa a travar uma nova batalha para eliminar os criadouros do mosquito aedes aegypti e combater a dengue, a chikungunya e a zika. As ações começaram no mês de outubro, quando o Governo Federal realizou a Semana Nacional de Combate ao Aedes, entre os dias 23 e 27.

Em São José dos Campos, os 64 agentes de combate às endemias visitaram 130 mil residências em 180 bairros da cidade, com o objetivo de mapear as áreas mais críticas do município. A partir desse trabalho, a Secretaria de Saúde pretende traçar as ações para 2018.

Embora o número de casos de dengue esteja em declínio no país e já exista uma vacina contra a doença, a prevenção ainda é a melhor medida a ser adotada pelas autoridades e pela população. A vacina é bastante recente e possui uma série de restrições, pois só pode ser aplicada em pessoas com idade entre 9 e 45 anos.

Desta forma, o combate ao mosquito aedes aegypti ainda deve ser feito com a eliminação dos criadouros, que proliferam enormemente nessa época do ano devido às condições do clima. Além do combate aos criadouros, o uso do repelente continua sendo uma boa alternativa preventiva.

Como nunca é demais lembrar, a dengue, bem como a chikungunya e a zika, é transmitida pela picada do mosquito e se manifesta, geralmente, em torno de seis dias depois. Após o período de incubação, os sintomas se tornam evidentes, atingindo graus de severidade que podem provocar até a morte do paciente. Os principais sintomas são:

  • Febre alta e súbita
  • Forte dor de cabeça
  • Dor atrás dos olhos
  • Perda do paladar e do apetite
  • Manchas e erupções na pele
  • Náusea, vômitos e tonturas
  • Cansaço extremo
  • Dor no corpo e nas articulações

Em relação às medidas preventivas para eliminar os criadouros, a principal é evitar o acúmulo de água em recipientes de qualquer espécie. Veja algumas situações a serem observadas:

  • Colocar areia em vasos de plantas
  • Tomar cuidado com a caixa d’água
  • Remover plantas e folhas das calhas
  • Usar telas protetoras
  • Não deixar pneus, recipientes, latas ou garrafas abandonadas em quintas ou terrenos

 

Um dado muito curioso que justifica todas as medidas acima é que os mosquitos geralmente não voam mais de 200 metros além dos locais onde nasceram. Isso quer dizer que, caso você seja picado, é quase certo de que o mosquito proliferou próximo a você.

Além disso, também é importante observar a resistência das larvas, que podem sobreviver até três meses sem contato com a água. Quando lembramos que cada fêmea pode botar até 200 ovos de cada vez, temos a certeza de que a batalha contra a dengue não é fácil.

Portanto, a fim de continuarmos a registrar queda nos números e evitar, inclusive, mortes pela doença, é preciso o máximo de atenção e cuidado.

Febre Amarela

Outro motivo para lutarmos contra proliferação do mosquito da dengue é a possibilidade dele também ser transmissor da febre amarela. Segundo o Ministério da Saúde, existem dois tipos de febre amarela: a silvestre e a urbana.

A silvestre é transmitida pelos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes, que têm atacado macacos em áreas de mata. Já a febre amarela urbana pode ser transmitida pelo mosquito da dengue, embora não haja registros desses casos no Brasil desde 1942.

Os sintomas da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.

Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20% a 50% das pessoas que desenvolvem a doença grave podem morrer.

Portanto, como prevenir é sempre o melhor remédio, um método bastante eficaz para a prevenção, além da vacinação, é o uso intensivo de repelentes. A Farma Conde oferece uma linha completa do produto, com todas as principais marcas do mercado, como ZAZ, POFT e EXPOSIS, que oferecem até 10 horas de proteção. Esses e outros produtos podem ser encontrados em todas as 180 unidades da Farma Conde no Estado de São Paulo.

Farma Conde, a dose certa para sua saúde e seu bolso.

Siga também pelas redes sociais:
https://www.facebook.com/redefarmaconde/ 
https://www.instagram.com/farmaconde/
https://www.youtube.com/user/TvFarmaconde1

 

Deixe uma resposta